Voltar 20 de Outubro de 2021
  • ExpoGestão

  • ExpoGestão 5,0 min

O prateado mercado da experiência e longevidade

Um público maduro, com poder de consumo, atento às novidades, com foco na importância de viver bem o presente, mas também mirando no horizonte dos dias vindouros. Não é de hoje que esse mercado, formado por pessoas com 50 anos ou mais, está sendo monitorado pela equipe coordenada por uma jovem mineira que viu neste consumidor experiente um perfil para extrair informações importantes para a economia.

A especialista em marketing Layla Vallias, apresentou na ExpoGestão 2021 a temática “Economia prateada: oportunidades no mercado da longevidade”, em que revelou as potencialidades que esses consumidores representam e que ainda não estão sendo atendidas pelo mercado.

Na palestra, realizada nesta quarta-feira (20/10), Layla disse que se interessou em vasculhar esse público em 2015, quando percebeu que não havia muitas informações detalhada do universo das pessoas maiores de 50 anos. 

Ela montou a pesquisa intitulada Tsunami 60+ que se revelou o maior estudo sobre o tema no Brasil. Foram entrevistadas 2,5 mil pessoas entre 55 e 90 anos. Nos questionários, foram feitas perguntas sobre o que pensavam do futuro, o que consomem e hábitos cotidianos.

“Falar de longevidade não é só abordar saúde, previdência, dicas de como viver mais tempo. Estamos falando de oportunidade de negócios para esse consumidor que gasta e tem uma vida plena e cheia de sonhos”, comentou a fundadora do Hype50+, consultoria de marketing especializada no consumidor maduro.

Layla disse que a quantidade de pessoas com mais de 65 anos irá dobrar até 2050, confirmando que estamos vivendo o século da velhice. A especialista em pesquisa comentou que o mundo possibilita que o ser humano viva mais tempo, porém não estamos preparados para viver bem essa ampliação. “Precisamos preparar as nossas cidades, casas e negócios para atender esse público”, alertou.

A chamada “economia prateada” está relacionada aos hábitos e potenciais de consumo das pessoas com mais de 50 anos. No Brasil, segundo pesquisas apresentada pela palestrante, esse mercado consome quase R$ 2 trilhões por ano. No mundo são 15 trilhões de dólares. E com mais expectativa de vida, a previsão é que esse movimento de consumo atinja 40 trilhões de dólares nos próximos anos. 

A gestora de marketing chamou a atenção que os consumidores maduros representam 50% do consumo global, mas que 70% dos setores criativos das agências nunca receberam um briefing para fazer uma campanha para esse público.

“O Brasil está envelhecendo de forma rápida. Em 2050 será o sexto país com população mais velha, na frente de todos os demais países em desenvolvimento. O que a França demorou 120 anos para envelhecer, o Brasil está fazendo em 20 anos. Temos mais avós do que netos e mais pessoas acima de 60 anos do que adolescentes. Você que está atento na geração nova, será que não é bom focar nos maduros, que são os que estão em evidência”, questionou Layla.

As pessoas com mais de 50 anos têm uma postura ativa no consumo. Conforme levantamento apresentado pela gestora de marketing, na América, 40% dos viajantes têm mais de 50 anos de idade. Eles buscam destinos no Ártico e viagens culturais na Ásia. Mais de um quarto dos usuários do site de namoro match.com tem entre 53 e 72 anos.

 “O conceito de velho ficou velho. Estamos falando de uma geração carpe diem, que nunca imaginou que iriam viver tanto e bem.  A rotina das pessoas maduras é cheia de compromissos. Esse público está na internet, faz cursos online, reforma de casa, são independentes e está cada vez mais digital, usando Facebook, Instagram e TikTok. Segundo pesquisa, 71% dos brasileiros com mais de 55 anos se consideram digitais. 27% já usou sites ou aplicativos para relacionamentos”, relatou. 

Layla reforçou que a pesquisa feita pela sua equipe indica que quatro de cada 10 brasileiros com 55 anos ou mais reclamam que faltam serviços para a sua idade. Isso, segundo a especialista, mostra um mercado que está sendo ignorado.

“Essas pessoas se sentem invisíveis. Se um gestor que inovar na sua empresa ou em novo negócio, tem que pensar neste público maduro. É importante estudar esse mercado. A velhice é heterogênea. Há diferenças. Homens e mulheres envelhecem de formas diferentes”, observou.

As palestras da ExpoGestão 2021 acontecem de forma online. O evento acorre até o dia 21 de outubro, por meio do site expogestao.com.br. A organização é da Ópera Eventos Corporativos.


Autor

ExpoGestão

Ao longo de 18 anos, a ExpoGestão se consolidou como um dos mais renomados encontros empresariais do Brasil. A ExpoGestão se converteu em uma plataforma de soluções, mantendo nosso DNA: uma curadoria primorosa, que sente as alegrias e dores do gestor brasileiro e lhe traz, sob medida, os conteúdos mais relevantes, instigantes e inspiradores – de saúde mental a transformação digital, do novo papel da liderança a cenários político-econômicos, de inovação a estratégia.


Experimente nossa plataforma. São mais de 50 vídeos para você se inspirar


Saiba Mais

Conteúdos Relacionados

Não há postages relacionadas.

Outras Postagens