Voltar 28 de Outubro de 2020
  • Sem categoria

  • ExpoGestão min

Liderança – muito além da boa convivência

Em um momento no qual desenvolver uma cultura de alto desempenho é fundamental, é imprescindível dar um salto no nível de liderança. Mais do que investir orçamentos vultosos em cursos sem impacto real, a empresa deve gerar mudanças de postura e hábitos dos profissionais. A questão é como fazê-lo. Pedro Mandelli, um dos mais requisitados consultores em liderança, foi responsável pela palestra da Expogestão Digital sobre esse tema tão importante. Mandelli é Sócio-diretor da Mandelli & Loriggio Consultores Associados. Também é professor no MBA de Educação Executiva da Fundação Dom Cabral e um dos cinco consultores mais requisitados do país para palestras, que chegam a uma centena a cada ano.

Mandelli disse, na Expogestão 2020, que ele é especialista em performance humana e gestão de mudanças e que os dois temas estão diretamente relacionados com o papel da liderança. Esse é um tema relativamente novo, que vem sendo trabalhado há 40, 50 anos e tem algumas linhas de pesquisa, mas que se pulveriza em um número alto de publicações, chegando a mais de 5 mil novos livros a cada ano no mundo.

Ele questionou: “liderança é uma matéria que se aprende?”. Você aprende a conviver com as pessoas ou você aprende a liderar? A maioria das pessoas acreditam que são líderes. Mas, na verdade, não é bem assim. Ao questionar um profissional que tem um grupo de pessoas sob seu comando se ele já fez algum curso para liderar, ele vai citar sua graduação em Administração, MBA em Negócios, Gestão… Mas você fez algum curso sobre liderança? “A vida me ensinou” é a resposta mais comum. Errado, salientou Mandelli. “A vida não ensina ninguém a liderar. Aprendemos a conviver desde crianças, com os amigos, na escola, na faculdade”, explicou o professor. Depois de formado, com um excelente currículo a pessoa vai para o mercado de trabalho. Logo, graças ao bom desempenho técnico, acaba sendo colocado numa posição em que passar a ter um grupo de pessoas sob sua supervisão e precisa motivá-los e fazer com que eles produzam com qualidade e eficiência.

Liderar não é apenas um verbo. Liderança é muito mais que isso. Tem técnica de liderança, tem conceito, tem tática, tem ferramentas… É preciso aprender tudo isso para que o líder possa dar respostas, indicar o caminho. Assim, acrescentou Mandelli, para saber se você está preparado para liderar, é preciso saber responder algumas questões: “Qual o conceito que você usa? Qual a técnica que você usa? Qual é a tática que você usa?  Como criar uma cultura de alto desempenho? Uma cultura de responsabilidade? Uma cultura de senso de propriedade? Uma cultura de orgulho de pertencer?”. O líder precisa dominar e colocar em práticas com maestria conceitos, técnicas, ferramentas e táticas para criar essa cultura de alto desempenho. Como engajar uma pessoa que está motivada mas não sabe fazer? E uma pessoa medianamente preparada, mas pouco motivada? Cada um precisa de uma tática, uma ferramenta.

Outra questão importante. Como desenvolver e sustentar a performance do seu time? Como você monta um time? Você tem sob sua orientação 50, 100 profissionais. Não são todos iguais. Quais os conceitos, técnicas, ferramentas que o líder deve usar para montar um time realmente produtivo? Uma vez que a confiança é a base que sustenta a relação de liderado x liderança, como desenvolver os atributos de confiança?

Mardelli explanou também sobre o reconhecimento. Disse que essa é uma moeda de troca que precisa ser trabalhada de forma inteligente. As pessoas têm auto estima e precisam ser reconhecidas. O líder precisa saber como trabalhar isso. A primeira moeda de troca em uma organização é o salário, sem dúvida. E, em seguida, vem o reconhecimento. “A maioria das pessoas deixa a sua organização não por que é a companhia é ruim, mas pela qualidade de liderança que ela recebe”, explicou. Como inspirar as pessoas para o futuro? Como mostrar que o futuro na organização em que ele está vale a pena? Quase todo livro de liderança diz que o líder precisa ter algo que inspire as pessoas, que una as pessoas. Mas não explicam como montar o que une e o que inspira. Então, aqui fica o desafio. O que leva as pessoas a se inspirarem em você? O futuro não é algo visível. Por isso a liderança é que constrói a ponte entre o hoje e que virá. Para isso, insistiu o palestrante, é necessário conceito, técnica, tática e ferramentas.

A comunicação informal foi outro tema abordado por Mandelli. A maioria das empresas tem um sistema de comunicação eficiente. Infelizmente a liderança não sabe usá-lo para potencializar a comunicação informal. Na mesma linha, outro aspecto importante é a reputação. O líder precisa saber fazer as pessoas trabalharem a reputação individual.

O tema seguinte da palestra foi sobre a postura do líder. Separou em dois blocos. O primeiro envolve a busca da postura de liderança. E o segundo, a atuação como líder. Na busca pela postura, o ponto número um é que o líder deve ser ele mesmo, com personalidade e caráter autênticos. Com isso em mente, é preciso entender que você tem um papel que traz outras exigências. Sem abrir mão da autenticidade, precisa entender que o desempenho do papel de líder exige habilidades. Citou um exemplo. No papel de liderança, é preciso ter aquele energia adicional. O líder sempre tem que ser o mais empolgado. Essa energia faz uma diferença enorme. Um líder de verdade assume qualquer área ou projeto que está em suas mãos como se aquilo fosse dele. Vai assumir os ônus e compartilhar os bônus. Essa visão de dono deve estar presente na liderança.

Em seguida o palestrante explanou sobre ferramentas de liderança. O líder deve buscar essas ferramentas. Entre elas citou a ferramenta que possa analisar sua personalidade e indique o que é necessário trabalhar para melhorar a condição de líder. Também precisa utilizar uma ferramenta de equilíbrio emocional. Uma terceira deve ser uma ferramenta de reputação, para entender como as pessoas estão te percebendo como líder. A quarta é uma ferramenta para avaliar o que te move. Com esses quatro elementos o líder consegue entender a sua postura e vai na sua personalidade e ajusta a forma de fazer e, então, entra o que chamamos de postura de liderança.

Mandelli aproveitou para aprofundar um pouco mais sobre responsabilidade e senso de propriedade. Esses dois fatores são fundamentais para que os profissionais realmente consigam entregar seu melhor potencial. A liderança exerce o papel fundamental para implantar o senso de responsabilidade e de propriedade. E, finalmente, argumentou sobre a necessidade de manter o alinhamento, os sensos de urgência e de alerta sempre ligados em toda a equipe. Aliado a isso, o líder precisa pensar e planejar o futuro e envolver a equipe tornando claro o que se espera de cada um.


Autor

ExpoGestão

Ao longo de 18 anos, a ExpoGestão se consolidou como um dos mais renomados encontros empresariais do Brasil. A ExpoGestão se converteu em uma plataforma de soluções, mantendo nosso DNA: uma curadoria primorosa, que sente as alegrias e dores do gestor brasileiro e lhe traz, sob medida, os conteúdos mais relevantes, instigantes e inspiradores – de saúde mental a transformação digital, do novo papel da liderança a cenários político-econômicos, de inovação a estratégia.


Experimente nossa plataforma. São mais de 50 vídeos para você se inspirar


Saiba Mais
Rogga

Conteúdos Relacionados

Não há postages relacionadas.

Outras Postagens

Patrocínio:




Apoio:

Entidades Parceiras:

Apoio de Mídia:

Realização:

Parceiros:

Franke
Michael Page
kpmg
Qlik
Sercompe
Silva Santana & Teston
Aylmer
Sympla
Hype50+
Moore

ExpoGestão o caminho para a mudança começa agora

Nosso objetivo é trazer a inspiração necessária a tempos de incerteza e adaptação, com as boas práticas no mercado, para construir a liderança de que o mundo precisa.

"Aprender é a única coisa de que a mente nunca cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende" Leonardo Da Vinci