Leia nossos

conteúdos

  • ExpoGestão
  • 3,43 min

A liderança está nua

Acabou o tempo do “manda quem pode e obedece quem tem juízo”. Em um mundo em que o ser humano é a peça fundamental, o papel da liderança se torna vital para o sucesso das organizações. No painel de abertura da ExpoGestão, Lívia e Pedro Mandelli, sócios na Mandelli & Loriggio Consultores Associados discorreram com propriedade sobre as mudanças no atual cenário.
Pedro Mandelli, mentor e consultor nas áreas de liderança, gestão de performance e comportamento organizacional, explicou que ainda em 2017 o mundo empresarial passou a vivenciar conceitos até então pouco explorados: a entrada da diversidade e da inclusão de forma acentuada na sociedade; a chegada com força do mundo digital; e a implantação do chamado “propósito” nas empresas. “Quando o mundo empresarial começava a vivenciar todas essas mudanças, veio a pandemia e, de um dia para o outro, o home office”, explicou.
Com essa grande mudança, os profissionais passaram a trabalhar em casa e, mesmo nesse cenário, muitas empresas conseguiram fazer seus negócios crescerem.
Com o término da pandemia, boa parte das organizações retomaram as atividades em suas sedes, mas perceberam que as pessoas estavam diferentes e mais exigentes.
Nesse contexto, os líderes, que estavam aprendendo sobre digital, inclusão, diversidade, propósito, tem agora uma nova realidade. O ser humano se transforma, com perspectivas e necessidades diferentes. “A liderança fica sem respostas, a liderança está nua”, explica Lívia. O reconhecimento vai muito além do brinde, do “relógio por tempo de casa”. “O líder precisa entender o que é importante para cada liderado, o que faz o coração pulsar, o olho brilhar”, completa.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é mantelis_interna.jpg


Assim, não basta ter o posto de liderança, é necessário ser e agir como líder. E para isso não é suficiente aprender com a vida, pois ela não ensina a liderar, ensina apenas a lidar com as pessoas. Ser líder é um círculo constante e árduo de aprendizado. Tem que estudar, ler, ser treinado. Tem que investir em autoconhecimento. Tem que saber qual é o seu papel na vida das pessoas. “Só dessa forma você, líder, terá a capacidade de fazer com que a equipe trabalhe com você e por você”, complementou Lívia. Explicou ainda que as pessoas não abandonam a empresa, abandonam o líder. Pedro Mandelli trouxe alguns números que reforçam essas afirmações:
• 81% das pessoas saem das empresas por causa dos líderes
• 90% dos problemas com a base dos funcionários é resultante da ação da liderança
• 61% dos benefícios oferecidos pelas organizações são irrelevantes para os funcionários por falta de liderança
Além desses conceitos, que entraram de forma rápida pré e pós pandemia, novos termos continuam a transformar o mundo corporativo. “Nas entrevistas de emprego, os candidatos já estão perguntando ‘qual o nível de ESG da sua empresa’?”, comentou Madelli ao ilustrar como o ESG (Environmental, Social and Governance – ambiental, social e governança, em português) está em alta. Além dele, têm o salário mínimo decente e o salário social cada vez mais em evidência. Com esse turbilhão de mudanças, as organizações estão cada vez mais dependentes de uma liderança preparada, treinada e pronta para conduzir os times para gerar resultados.
A ExpoGestão prossegue dias 24 e 25 de agosto, na Expoville.