Leia nossos

conteúdos

  • ExpoGestão
  • 4,32 min

Muito além das quadras

Em 1997, um tenista brasileiro surpreendia o mundo ao conquistar a vitória em Roland Garros, o Grand Slam francês. O fato inédito se repetiria mais duas vezes. Guga voltou a levantar o troféu no Aberto da França, em 2000 e 2001, se tornando tricampeão em Roland Garros. Ao longo de 13 anos de sua trajetória no tênis, Guga conquistou 20 títulos em simples e entrou para a história ao se tornar, em 2000, o número 1 no tênis mundial, após vencer no Master de Lisboa, duas lendas americanas: Pete Sampras e Andre Agassi.

Gustavo Kuerten se retirou do circuito profissional do tênis em 2008, foi sua turnê de despedida. Em Roland Garros, foi homenageado pela Federação Francesa de Tênis e foi presenteado com um troféu que simboliza a quadra central do Grand Slam francês. Dois anos depois Guga recebeu, em Paris, o troféu Philippe Chatrier por suas conquistas dentro e fora das quadras, em função do trabalho social realizado pelo IGK, entidade que atua em Santa Catarina, com o objetivo de garantir a inclusão social para crianças, adolescentes e pessoas com deficiência.

Guga é reconhecido por um gesto emblemático na final que lhe rendeu o tricampeonato em Roland Garros. Em 2001, ele desenhou um coração no saibro com a raquete e se deitou, simbolizando seu agradecimento à torcida. Sua trajetória no tênis fez com que o nome de Gustavo Kuerten fosse eternizado no Hall da Fama do Tênis Internacional, em 2012, como o único tenista brasileiro (masculino) a entrar para a galeria dos imortais no esporte que o consagrou.

Em 2016, Gustavo Kuerten surpreendeu o mundo ao entrar no Maracanã carregando a tocha olímpica, durante a abertura da Rio-2016. Em 2017, Guga foi nomeado Embaixador de Roland Garros, numa homenagem inédita da Federação Francesa de Tênis.

A história de um dos maiores ídolos do esporte nacional e mundial é bastante conhecida. O que quase ninguém conhece, e o público da ExpoGestão 2024 vai descobrir na palestra “Muito além das quadras“, são os bastidores da preparação, das conquistas, das dores, das frustrações, da despedida do esporte e do sucesso fora das quadras.

Como manter simpatia, empatia e humildade mesmo sendo o número 1?
Qual o limiar de dor possível de suportar para realizar seus sonhos?
Por que se arriscar em novos projetos após conquistar o topo?
Com a palavra, um convidado pra lá de especial, que subirá ao palco da ExpoGestão ao lado do irmão e parceiro Rafael Kuerten, gestor da sua carreira vitoriosa.

Guga Kuerten é tricampeão do aberto de tênis de Roland Garros. Tem no currículo 20 títulos de simples a primeira posição no ranking mundial de tênis no ano 2000. Em 2021, teve seu nome eternizado no Hall da Fama do Tênis Internacional. Ao lado da mãe Alice e do irmão Rafael, Guga mantém o trabalho social do IGK com o objetivo de garantir a inclusão social para crianças, adolescentes e pessoas com deficiência. Mantém ainda projetos empresariais, como a sociedade da Genial Investimentos.

Rafael Kuerten é reconhecido como gestor da trajetória vitoriosa de Gustavo Kuerten no tênis profissional. Ele é graduado em Ciências da Computação pela UFSC. Começou a trabalhar cedo como professor de tênis em escolinha e aulas sociais e logo se tornou o treinador da equipe de competição do LIC e da Fundação Municipal do Esporte de Florianópolis.

Em 1995, criou a empresa que hoje é conhecida como Grupo Guga Kuerten. Fundou, ao lado da mãe e do irmão, o Instituto Guga Kuerten, no ano 2000. A natureza empreendedora no esporte despontou cedo e aos 13 anos Rafael começou a encordoar raquetes. Ainda com foco na formação do tênis, participou de cursos para árbitros e para treinadores na USTA, com objetivo de garantir uma visão global do segmento esportivo. Recentemente participou do Conselho do Hospital Baía Sul, em Florianópolis, e atua como conselheiro da Confederação Brasileira de Tênis e do Fundo Catarina, além de ser sócio da Genial Investimentos.