Voltar 27 de Outubro de 2020
  • ExpoGestão

  • ExpoGestão min

A saída da crise está na inteligência coletiva

Formar uma equipe em que impere a segurança psicológica nunca foi tão importante, principalmente quando se pensa em gestão e produtividade. A ideia é fazer com que os colaboradores libertem-se do medo de perder o emprego, de se arriscar, de contar suas ideias, de ser passados para trás. É preciso que o líder promova uma cultura de parceria, onde um colabora com o outro. Segundo o médico Roberto Aylmer, especialista em gestão no contexto complexo e no Burnout Executivo, a pressão em excesso e a competição interna na empresa podem destruir uma equipe.

Todo esse ambiente ruim de trabalho, conforme o especialista, tem muito a ver com o líder. Especialmente em um ano como o de 2020, em que a crise gerada pelo covid-19 estabeleceu um ambiente de estresse. Mais do que nunca, o fundamental é: líderes e colaboradores precisam manter a saúde emocional, para que a ansiedade, a depressão e a síndrome de burnout não sejam uma ameaça real. A prevenção? É o colaborador sentir que está seguro, amparado, que pode trabalhar sem medo. E promover esse ambiente depende muito do líder.

“O que tem matado as empresas não é a competição externa, o covid-19 ou o mercado. É o desperdício que acontece no dia a dia, à medida em que as pessoas não conseguem pensar que a competição está lá fora, e jogam a inteligência para competir internamente, para vencer o par”, destacou, em sua palestra na Expogestão 2020.

E o que o líder pode fazer para reduzir o medo e aumentar o engajamento da equipe? A proposta de Aylmer é: mão no pulso do colaborador, diálogo diário de segurança e menos pressão. Traduzindo: o líder deve ter presença sem medo (a equipe não pode temer o líder, tem de saber que ele vai ajudar a resolver as questões); precisa criar conexão ( fazer pergunta interessada para saber o que aconteceu e como pode ajudar); ouvir a equipe  com humildade e atenção; foco no positivo (porque isso reduz o medo e a expectativa de punição).

“Na crise, o líder deve ter honestidade total, comunicar com esperança, manter a humildade diante da incerteza. Nos dias de hoje, não cabe mais um líder brilhante, cheio de fãs. A inteligência hoje é distribuída no coletivo. Estamos juntos numa crise internacional, com medos, inseguranças e dificuldades, mas juntos é possível atravessar de uma outra maneira”, ressaltou.


Autor

ExpoGestão

Ao longo de 18 anos, a ExpoGestão se consolidou como um dos mais renomados encontros empresariais do Brasil. A ExpoGestão se converteu em uma plataforma de soluções, mantendo nosso DNA: uma curadoria primorosa, que sente as alegrias e dores do gestor brasileiro e lhe traz, sob medida, os conteúdos mais relevantes, instigantes e inspiradores – de saúde mental a transformação digital, do novo papel da liderança a cenários político-econômicos, de inovação a estratégia.


Experimente nossa plataforma. São mais de 50 vídeos para você se inspirar


Saiba Mais

Conteúdos Relacionados

Não há postages relacionadas.

Outras Postagens

Patrocínio:




Entidades Parceiras:

Apoio de Mídia:

Realização:

Parceiros:

Franke
Michael Page
kpmg
Qlik
Toccatto
Target
Sercompe
Silva Santana & Teston
Moore
Sympla
Hype50+
Aylmer
Instituto Cliente Feliz
Escola do Teatro Bolshoi no Brasil
Mandelli & Logiggio
By the Bed
Tendências
SEBRAE
Oxford Porcelanas
STRAUSS

ExpoGestão o caminho para a mudança começa agora

Nosso objetivo é trazer a inspiração necessária a tempos de incerteza e adaptação, com as boas práticas no mercado, para construir a liderança de que o mundo precisa.

"Aprender é a única coisa de que a mente nunca cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende" Leonardo Da Vinci