Voltar 27 de Outubro de 2020
  • ExpoGestão

  • ExpoGestão min

Cenários voláteis exigem líderes conectados com pessoas

O ano de 2020 pode ser encarado como um grande teste para os líderes. A pandemia do coronavírus atingiu o mundo e transformou o dia a dia das pessoas e das organizações. Também expôs se líderes estão ou não preparados para lidar com crises e mercados voláteis. Para Gijs van Delft, CEO das empresas Michael Page, Page Personnel e Page Executive, toda essa situação evidenciou que muitos dos alicerces preconizados até há pouco já não se aplicam aos dias de hoje. O papel do líder mudou.

Em sua palestra no primeiro dia da Expogestão, van Delf destacou que, nos últimos anos, boa parte daquilo que sustentava os líderes nas empresas caiu por terra, porque mudou o tipo de relacionamento que o gestor precisa ter com as pessoas, e a volatilidade do mercado enfraqueceu a capacidade de tomar decisões baseadas em informações concretas.

Mas quais as características um bom líder deve ter? Diferentemente do passado, aquela pessoa que sabe tudo e tem todas as respostas, que está em outro patamar, não existe mais. Mas essa vulnerabilidade, explica van Delft, é positiva, pois mostrar de forma honesta que não tem todas as respostas conecta o líder a um lado mais humano. Aliás, conexão é uma palavra-chave nesta função.

Mais do nunca, um líder precisa ter empatia, para colocar as pessoas em primeiro lugar; dar bom exemplo, mostrando que pratica as coisas que prega; saber escutar, mostrando respeito e que gosta de aprender; ter inteligência emocional para se manter estável; ter otimismo para passar boas energias; ter capacidade criatividade para buscar alternativa (com a equipe. Não deve fazer isso sozinho); e precisa também olhar para fora, ter foco no cliente.

“Construir confiança e respeito tem a ver com comunicação, abertura e com transparência. Essa sensação de segurança traz engajamento, com mais produtividade e alta performance”, acredita. Para o especialista, hoje, mais do que nunca, é preciso ter conexão forte com o time, e fazer com ele tenha essa conexão com o propósito da empresa. “Isso faz muita diferença no engajamento e na busca por resultados. Eu acredito que, em momentos de dificuldades, existem muitas oportunidades. E uma característica do líder é ter otimismo e enxergá-las junto com a equipe, buscando novos caminhos. Isso é crucial”, avaliou.


Autor

ExpoGestão

Ao longo de 18 anos, a ExpoGestão se consolidou como um dos mais renomados encontros empresariais do Brasil. A ExpoGestão se converteu em uma plataforma de soluções, mantendo nosso DNA: uma curadoria primorosa, que sente as alegrias e dores do gestor brasileiro e lhe traz, sob medida, os conteúdos mais relevantes, instigantes e inspiradores – de saúde mental a transformação digital, do novo papel da liderança a cenários político-econômicos, de inovação a estratégia.


Experimente nossa plataforma. São mais de 50 vídeos para você se inspirar


Saiba Mais

Conteúdos Relacionados

Não há postages relacionadas.

Outras Postagens

Patrocínio:




Entidades Parceiras:

Apoio de Mídia:

Realização:

Parceiros:

Franke
Michael Page
kpmg
Qlik
Toccatto
Target
Sercompe
Silva Santana & Teston
Moore
Sympla
Hype50+
Aylmer
Instituto Cliente Feliz
Escola do Teatro Bolshoi no Brasil
Mandelli & Logiggio
By the Bed
Tendências
SEBRAE
Oxford Porcelanas
STRAUSS

ExpoGestão o caminho para a mudança começa agora

Nosso objetivo é trazer a inspiração necessária a tempos de incerteza e adaptação, com as boas práticas no mercado, para construir a liderança de que o mundo precisa.

"Aprender é a única coisa de que a mente nunca cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende" Leonardo Da Vinci