Voltar 16 de Abril de 2021
  • Gestão e NegóciosLiderança e PessoasInovação e Tendências

  • ExpoGestão min

Cinco tendências para a gestão em 2021

 

Para falar de gestão no momento atual, não tem como ignorar em como a pandemia influenciou e tem desempenhado um papel determinante nas novas formas de trabalho. A flexibilização das leis trabalhistas em 2020, o isolamento social e a aceleração da transformação digital estimularam formas de trabalho mais colaborativas e modelos que se adaptam à crise. Confira a seguir cinco tendências que farão a diferença na gestão em 2021 e podem influenciar diretamente o desempenho da sua empresa:



Liderança e empatia

A palavra empatia tornou-se uma das mais faladas e pesquisadas desde o início da pandemia. Não à toa que ela, a empatia, tem transformado e influenciado a atuação das lideranças. Lideranças em um pedestal não tem funcionado neste momento. O contexto pede líderes mais empáticos, humanos e que tomem atitudes com muito mais transparência. Com a pandemia, as lideranças têm a obrigação de monitorar o bem estar de seus funcionários, e zelar pela segurança e saúde física  e mental do seu colaborador. A gestão mais humanizada já era uma tendência forte nos últimos anos, mas ficou ainda mais evidente neste momento em que, além de liderar, é preciso apoiar.

 

Foco social
Você já pensou em como a sua marca ou empresa contribuem para um mundo melhor? No cenário atual, as gestões precisam ter essa resposta na ponta da língua. Segundo um estudo mundial publicado pelo Kantar, 77% dos entrevistados acreditam que as marcas deveriam ser mais úteis neste momento de pandemia.
Se o consumidor acredita que o setor privado precisa contribuir para a sociedade em momentos de crise como esse, é preciso repensar o papel da gestão e avaliar como ele ajuda o seu cliente – e também a sociedade.

 

Inovação
Toda crise tem dois lados: aquele em que empresas e gestões ficam paralisadas diante da necessidade de mudanças e aquele em que se pensa em novas possibilidades para se reinventar no mercado. A pandemia fez com que a gestão fosse decisiva no estímulo à inovação e adaptação a novos processos. Inclusive, não se pode negar que a pandemia foi um catalisador para a transformação digital de empresas. Inovação e transformação digital andam juntas, mas é aqui que entra o papel determinante da gestão: ela só acontece efetivamente com a participação ativa das pessoas.

Home office

O que começou por uma necessidade de segurança no ambiente de trabalho por causa da pandemia se transformou uma tendência que deve se manter, pelo menos parcialmente, após o fim da pandemia. Isso porque, dos dois lados, foram observadas vantagens no teletrabalho. Qualidade de vida, menos tempo de trajeto, mais resultados e objetividade têm sido elencados como vantagens diferenciais no home office. Importante neste momento as gestões avaliarem o que aprenderam com o teletrabalho e enxergar as oportunidades que podem ser mantidas e contribuírem com o resultado, como modelos híbridos e até um redesenho do ambiente atual dos escritórios.
Um dos desafios mais importantes dentro do home office é a readequação da jornada do colaborador, como medir resultados e como manter vínculos profissionais e pessoais com as equipes dentro desse modelo.

Requalificação da força de trabalho
Para novos tempos, novas habilidades. Para passar pela pandemia, os RHs perceberam a necessidade de preparar melhor seus funcionários para momentos como eventuais crises. Algumas habilidades estão ainda mais em evidência na retenção e na busca por novos talentos: colaboração, adaptabilidade e capacidade de autogerenciamento. Características que são essenciais para desenvolver times mais colaborativos e resilientes em situações de mudança.


Diversidade e inclusão
Se este assunto ainda não está em pauta em seu modelo de gestão, é melhor repensar sua estratégia. O tema diversidade e inclusão tem gerado grandes expectativas no mercado profissional, desde o público mais jovem até profissionais sênior, que tem conquistado cada vez mais espaço. Segundo o Kantar Inclusion Index, o Brasil está na sétima colocação no ranking de inclusão e diversidade no trabalho. OUtra informação relevante é que, de acordo com um estudo da McKinsey, empresas que investem em diversidade conquistam melhores resultados de desempenho e lucratividade.


Autor

ExpoGestão

Ao longo de 18 anos, a ExpoGestão se consolidou como um dos mais renomados encontros empresariais do Brasil. A ExpoGestão se converteu em uma plataforma de soluções, mantendo nosso DNA: uma curadoria primorosa, que sente as alegrias e dores do gestor brasileiro e lhe traz, sob medida, os conteúdos mais relevantes, instigantes e inspiradores – de saúde mental a transformação digital, do novo papel da liderança a cenários político-econômicos, de inovação a estratégia.


Experimente nossa plataforma. São mais de 50 vídeos para você se inspirar


Saiba Mais

Conteúdos Relacionados

Não há postages relacionadas.

Outras Postagens

Patrocínio:




Entidades Parceiras:

Apoio de Mídia:

Realização:

Parceiros:

Franke
Michael Page
kpmg
Qlik
Toccatto
Target
Sercompe
Silva Santana & Teston
Moore
Sympla
Hype50+
Aylmer
Instituto Cliente Feliz
Escola do Teatro Bolshoi no Brasil
Mandelli & Logiggio
By the Bed
Tendências
SEBRAE
Oxford Porcelanas
STRAUSS

ExpoGestão o caminho para a mudança começa agora

Nosso objetivo é trazer a inspiração necessária a tempos de incerteza e adaptação, com as boas práticas no mercado, para construir a liderança de que o mundo precisa.

"Aprender é a única coisa de que a mente nunca cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende" Leonardo Da Vinci