Voltar 8 de Abril de 2021
  • Liderança e PessoasInovação e Tendências

  • ExpoGestão min

Home office veio para ficar e crescer


Gatos atravessando o computador, crianças pedindo colo na hora da reunião, call de bermuda e chinelo. O home office veio para ficar e transformar as estruturas de trabalho, mas ele é muito mais do que memes engraçadinhos. O que parecia temporário hoje influencia diretamente novos modelos de negócio. Levou gestores a repensarem seus ambientes de trabalho e vem refletindo positivamente nos resultados de muitas empresas.

Em um estudo realizado pela companhia Cisco em 27 países, incluindo o Brasil, apenas 4% dos entrevistados brasileiros trabalhavam em casa antes da pandemia. Ainda nesse estudo, 88% deles esperam ter mais autonomia para decidir no futuro como e quando usar os espaços oferecidos pela empresa.
Olhando mais à frente este futuro encontram-se as empresas de TI, que lideram o trabalho remoto na América Latina. Segundo uma pesquisa do PageGroup, Aprendizados e Tendências da Covid-19 na América Latina, 87% do setor está atuando nesse modelo.
Foi o caso da Neogrid,empresa do segmento de Software as a Service (SaaS) para a gestão de cadeias de suprimentos e uma das primeiras a colocar 100% dos colaboradores em home office. Agora,  um ano depois, dá mais um passo ousado e ao adotar o teletrabalho de forma definitiva.
Eduardo Ragasol, CEO da Neogrid, ressalta que o home office apresenta vantagens interessantes e também pontos de atenção. Em entrevista, ele ressalta que um dos principais benefícios é o aumento da eficiência do trabalho.
Um detalhe que pode ser sentido no próprio desempenho da empresa, que registrou
em 2020 um lucro líquido 42,8% superior a 2019, alcançando um total de R$ 12,4 milhões. A companhia estreou em dezembro do ano passado na bolsa de valores, tornando-se a 163ª empresa listada na bolsa de valores brasileira. E, em plena pandemia, e teve um crescimento orgânico de 13,7%. Em março deste ano, adquiriu a startup catarinense Smarket, ampliando ainda mais a oferta de novas soluções para os seus clientes. A seguir, confira um bate-papo com Eduardo Ragasol sobre o home office na Neogrid e seu ponto de vista sobre este modelo de trabalho.


Home office – vantagens e desvantagens
O home office apresenta vantagens muito interessantes e também pontos de atenção. Uma das vantagens é o aumento da eficiência do trabalho. Além disso, as pessoas não tem que se locomover, e se gasta muito tempo de transporte. Nossa equipe de São Paulo, especificamente, percebeu esse benefício, já que o nosso escritório fica na Paulista.
Hoje, praticamente todas reuniões começam e acabam a tempo e são mais bem preparadas. Cria-se uma disciplina de trabalho mais pontual e os temas precisam ser discutidos com muito mais objetividade.
Agora, também temos a responsabilidade também de criar vínculos pessoais, pois os vínculos com a equipe são bem importantes.
Um ponto de atenção dessa era digital é que o confinamento excessivo também não é sadio. É importante sair, caminhar, ver outras pessoas, encontrar o pessoal e ter aquelas conversas informais, que criam oportunidades.

 

Eduardo Ragasol, CEO da Neogrid

 

Perfil digital da Neogrid
A natureza da empresa, que já é digital, ajudou para que essa transformação fosse mais fácil. As lideranças e gerências ajudaram a manter o controle nos primeiros dias da pandemia

Tínhamos comitês de crise para verificar o andamento das operações, dos funcionários e dos clientes. Os planos de contingência funcionaram bem, até que entendemos que a pandemia chegou para ficar por um bom tempo. E o comitê de crise deixou de ser crise e iniciou a gestão de um novo modelo de trabalho, mais adequado para uma circunstância que ia demorar muito a se normalizar. E agora, entendendo isso, vamos ter um modelo de trabalho muito melhor para depois da pandemia e mais eficiente.

 

Modelo híbrido
Assim que todos estiverem vacinados, vamos pensar em um esquema híbrido, no qual algumas reuniões e os escritórios voltem em um conceito flexível. Ninguém terá um lugar fixo. Espaços como os coworks, mais flexíveis, com salas de reuniões, escritórios e instalações dentro dos que atendam as necessidades dos nossos funcionários e de nossas equipes, para fomentar o vínculo pessoal.
Os escritórios não desaparecerão. Teremos escritórios sim, para fomentar as relações pessoais, trabalho em equipe e encarar projetos de maior complexidade. Já temos estes diferentes espaços disponíveis em nossos escritórios e com distância social apropriada.

Atendimento aos clientes no home office
A Neogrid, tem, ao mesmo tempo, globais, bem regionais e em todo o Brasil. Como os clientes estão na mesma dinâmica, o atendimento ficou melhor. Agora temos reuniões com muito mais velocidade e de uma maneira mais eficiente. O cliente agradece.
Para dar um exemplo, eu tinha planejado uma tour europeia para visitar clientes na Holanda, na Alemanha, na Espanha… Nós conseguimos ver os clientes de toda a Europa, e até dos EUA, sem sair do escritório.

Marketing digital
Aprendemos como aproveitar isto para o nosso marketing digital. Todo o nosso marketing hoje é digital. Eventos, webinars, meetings, temos uma dinâmica maior, com maior alcance também, que complementa nossas estratégias de inbound e outbound de uma maneira mais flexível e dinâmica, complementando nossa estratégia de marketing digital de plataformas sociais, particularmente Linkedin e Instagram. 

Responsabilidade e autonomia
Temos um valor muito importante na companhia que é a responsabilidade. Estamos tratando toda a nossa equipe como pessoas adultas responsáveis no século 21.
Muito da cultura de leis trabalhistas no Brasil se baseia na questão de horários de trabalho e um rito de trabalho das indústrias de manufatura. Nós, felizmente, já nos encontramos em uma indústria digital. Quando você está como uma indústria manufatureira e trata os funcionários como operário, eles têm que bater ponto. O que estamos fazendo é nos transformar de uma maneira flexível, com responsabilidade, com horários de trabalho flexíveis. Se você precisa acompanhar seu filho às 8 da manhã porque ele está em casa, não se preocupe. Você pode começar às 10. Ninguém vai te cobrar isso. O que interessa é o resultado.Todo o mundo controla o resultado do trabalho, e não os horários.

Participação das equipes
Tivemos várias pesquisas internas, pois a nossa primeira preocupação era com a saúde dos funcionários. A saúde física e a emocional. A saúde emocional é muito importante acompanhar e também criar oportunidades lúdicas.
Em nossas plataformas digitais, criamos eventos lúdicos, como o Cozinha Criativa. Enviamos para a casa das pessoas ingredientes para fazer um risoto, e todos acompanharam um chefe em nossa plataforma digital. Tivemos eventos para crianças, filhos dos nossos funcionários e estimulamos as comemorações virtuais no Natal, no Carnaval, enviando sempre elementos físicos para o funcionário para que ele pudesse compartilhar esse momento com seus colegas e também com suas famílias.
A saude física e mental das pessoas é absolutamente prioritário neste conceito. 


A realidade em casa
Nem todas as casas estavam preparadas para o home office. As condições são difíceis e pode ser complicado manter o foco, ter um espaço isolado com o devido silêncio. Aqui surgem as cenas recorrentes do home office, como o gato no computador, o filho que aparece no vídeo.
Mantivemos o apoio da alimentação, transformamos o apoio no transporte em um apoio flexível, para que pudessem usar esse valor para investir em melhores condições de trabalho dentro do ambiente da sua casa. No começo, as pessoas estavam trabalhando muito mais horas que o normal, estavam muito cansadas. Começamos a criar espaços mais lúdicos nessa rotina: aulas de ginástica, atividade física e reforçar as melhores práticas de trabalho e a necessidade de ter um espaço na agenda para você mesmo.

 

Home office, como fazer dar certo na minha empresa?
Converse com as equipes, com as pessoas, para encontrar modelos que atendam tanto a necessidade da empresa quanto a necessidade pessoal. Ajudam muito os valores de confiança e de responsabilidade. Se você ter confiança em sua equipe e todos agirem baseados nessa confiança com responsabilidade, criar modelos flexíveis fica muito mais fácil. A partir da confiança, pensar em uma troca de uma gestão de horários para uma gestão de resultados. Uma gestão que parte apenas do cumprimento da carga horária não funciona nesse modelo. É preciso tratar o funcionário como uma pessoa responsável.
Entendendo as prioridades de saúde e entendendo também uma dinâmica de tratar os funcionários como pessoas de confiança, mudando a gestão de um ponto de vista antigo para um sistema moderno, toda a empresa vai encontrar caminhos intermediários que atendam as necessidades para manter a operação andando.


Autor

ExpoGestão

Ao longo de 18 anos, a ExpoGestão se consolidou como um dos mais renomados encontros empresariais do Brasil. A ExpoGestão se converteu em uma plataforma de soluções, mantendo nosso DNA: uma curadoria primorosa, que sente as alegrias e dores do gestor brasileiro e lhe traz, sob medida, os conteúdos mais relevantes, instigantes e inspiradores – de saúde mental a transformação digital, do novo papel da liderança a cenários político-econômicos, de inovação a estratégia.


Experimente nossa plataforma. São mais de 50 vídeos para você se inspirar


Saiba Mais

Conteúdos Relacionados

Não há postages relacionadas.

Outras Postagens